4.12.11

SALVEM O MUSEU DO AUTOMÓVEL DE BRASÍLIA. II

Reproduzo aqui a carta que o curador do Museu do Automóvel de Brasília, Roberto Nasser, escreveu para o blog de meu amigo Jovino, leia com atenção, e que os antigomobilistas e cidadãos da capital federal se mobilizem.


"camaradas,
 

a proposta do ministério dos transportes em fechar o museu do automóvel e aproveitar suas boas instalações para abrigar, como justifica "o arquivo morto de órgão extinto ", toma corpo. fui avisado que um oficial de justiça já requereu força policial para remover o conteúdo do museu e se apossar do prédio nesta semana.

 

tenho tomado as providencias jurídicas e políticas em âmbito local e federal para evitar tal violência. recuso-me a imaginar a maior biblioteca especializada do país, ou automóveis que são únicos no mundo, jogados ao tempo, condenados ao fim num depósito público. infelizmente isto se trata de ordem judicial, optando fechar um equipamento socialmente útil pra guardar papéis que estão no rio de janeiro - onde o ministério dos transportes tem muitos imóveis. politicamente insensível, o ministério quer fechar um equipamento turístico cultural, operacional, sem custos para o governo, no período em que as obras do 
pac para a copa empacam. o ministério que não explica suas contas, que não cumpre suas metas, que vive nas páginas policiais, ataca a cultura.
para lembrar, o museu é mantido por uma fundação subordinada ao ministério público; tem operação e contas aprovadas; é de utilidade pública federal; e é inscrito no sistema nacional de museus de ministério da cultura. o do transportes cobra o prédio, reformado, ampliado, cuidado, que a secretaria de patrimônio da união diz ser dela - e este órgão, se quisesse ou tivesse compromisso com a cidade, teria cedido espaço ao 
m.t., pois tem, acredite, um prédio público em oferta para aluguel no mesmo sgon onde está o museu e onde o ministério quer a área.
 

não consigo imaginar o orgulho, por ações e omissões, de todas as autoridades envolvidas neste processo, em ter que explicar a vizinhos, amigos, parentes, filhos, netos, o orgulho de ter fechado um museu, único no país com a coragem e o nacionalismo de focar a preservação da história da indústria automobilística brasileira. não consigo enxergar a vantagem que colherão em suas carreiras, com a nódoa a ser sempre lembrada. mas nada tenho a ver com as entranhas destes personagens. minha preocupação hoje é, em primeiro lugar, salvar o acervo, onde se encontra a mais refinada coleção dos veículos demonstradores de nosso saber, alguns em exemplar único no mundo. se o governo, pelo executivo e judiciário, acham o museu dispensável ante a necessidade de guardar o precioso arquivo morto, agindo para o seu fechamento, pode-se até fechá-lo, provando que cultura é apenas discurso e teoria. mas o acervo deve ser preservado. alguns dos veículos são tombados pela 
àrea cultural governo de são paulo.
 

antigomobilistas sérios, preocupados com a ameaça ao acervo e a perda para a capital federal, querem fazer um ato de protesto, reunindo a mídia para expor a preocupação da sociedade ante tal sentença e suas 
consequencias. a movimentada virginia bellanti, autora da bem sucedida proposta do "abraço ao museu" iniciou coordenar o ato, pedindo que todos os inconformados com a ameaça, que convoquem amigos, familiares, que usem as redes sociais para divulgar esta ameaça, e seus contatos com a mídia para que a divulgação do protesto possa sensibilizar as autoridades envolvidas, criando tempo para estudo de outras possibilidades.
 

você sabe quanto este museu me custa em interesse, tempo, dedicação, interesse. emoção e moedas. sabe de sua 
importancia para a cidade, o orgulho dos brasilienses que trazem surpreendidos visitantes a conhecer sua arrumação e acervo. é uma idéia viável, aprovada pelas quase 120 mil pessoas que o visitaram. é uma referencia para a cidade, um serviço para os internados do sarah kubitschek, bem vindos às instalações com cuidados de mobilidade; aos alunos da rede pública, de todos os órgãos assistenciais do gdf, aposentados do gdf, crianças, todos convidados às visitas. para a universidade de brasília, com quem o museu tem conveniosnas áreas de engenharia mecânica, oferecendo seus veículos e sua biblioteca para aperfeiçoamento acadêmico.
 

em suma, não é uma coleção privada, mas um museu, montado como tal, aberto e útil à sociedade. e esta sociedade deve dizer que prefere museu em vez de depósito de arquivo morto.

 

é a hora da verdade. assuma, mobilize, apareça. a cidade e o futuro ser-lhe-ão gratos e eu, particularmente agradecido.

 

com saudações 
antigomobilísticas, o
 

roberto nasser, curador"

os contatos da virginia:
(61) 9985.9535 e 8595.1401

virginia.bellanti@gmail.com
 

 

FUNDAÇÃO MEMÓRIA DOS TRANSPORTES

SGON – Quadra 01 – nº 205 CEP 70610 – 610 Brasília-DF, Brasil

Telefone: 55 – (61) 3225 – 3000 Fax: 55 – (61) 3225 – 5511

www.museudoautomovel.org.br / curador@museudoautomovel.org.br
 

FUNDAÇÃO MEMÓRIA DOS TRANSPORTES

SGON – Quadra 01 – nº 205 CEP 70610 – 610 Brasília-DF, Brasil

Telefone: 55 – (61) 3225 – 3000 Fax: 55 – (61) 3225 – 5511

www.museudoautomovel.org.br / curador@museudoautomovel.org.br

5 comentários:

Joel Marcos Cesetti disse...

Sinceramente acho que Brasília não merece ter o museu lá.Tirando o Nasser e sua equipe, ninguém se preocupou com o assunto.

Goodtimes disse...

É um absurdo! Estão conseguindo mais uma vez acabar com a cultura em nosso país...

jovino disse...

Cesetti,
Se preocupa sim, desde o início do ano os diversos clubes de carros antigos estão se movimentando. Há alguns meses atrás nós colocamos mais de 60 veículos em frente ao museu do Nasser e fizemos um abraço simbólico ao museu.
A imprensa, inclusive, a rede Globo compareceu e fez divulgação em seu telejornal e a imprensa, como jornais, etc, também compareceram.
Mas a coisa é mais complicada: é uma questão política e da justiça.
O aque nós antigomobilistas pudemos fazer já fizemos e vamos nos unir quando ele precisar, mas a realidade, é que um governos assumo e cede um espaço físico para alguém, aí vem outro governo oposto ao que saiu e não quer nem saber, quer aquele espaço físico e ceder para os seus apadrinhados.
A questão do museu já rola a mais de 2 anos na justiça e não é só o museu do Nasser que está sendo despejado não, mas isto é outra história.
Você pode ter certeza que o antigomobilismo em Brasília é muito forte e unido, mas infelizmente...

Jovino

Mauricio Morais disse...

É verdade, o que o Jovino disse, eu testemunhei o quanto os clubes são irmanados lá em BSB. O problema é que esse governo só é sensível a certas questões...

Paulo Levi disse...

Nunca é demais lembrar que a intenção é usar o espaço do museu para guardar os papéis velhos do Ministério dos Transportes - o mesmo que há pouco mais de um mês foi definido pelo Ministro Chefe da Controladoria Geral da União como "um antro de roubalheira".