6.12.10

DOJÃO VALENTÃO - JOVINO BENEVENUTO


Dojão com pinta de valente, Nascar brasileiro, o carro tem pinta mesmo.
Devia ser muito bom ver um punhado de Dodges brigando na pista.

8 comentários:

Jovino disse...

Mauricio,
Ficou ducar... Como você consegue fazer uma ilustração ficar melhor do que a foto original?
Como disse no post anterior, será a testeira do meu blog.
Deixa eu falar um pouco desta pintura. Ele tinha a cor azul com partes brancas e algumas pessoas diziam que era o Dodge com a bandeira da argentina. Uma vez, depois do treino, saímos uns quatro Dodges do autódromo e paramos os quatro num sinal na asa norte. Aí um começou a acelerar e os outros também. Quando abriu o sinal, todos saíram arrancando, cantando pneu, mas demos de frente com um fusquinha do Detran. Enfim, eles seguiram alguns e pegaram. Eu saí fora e me livrei de ter o meu Dodge preso. (continua no outro comentário)

Jovino disse...

Noutro dia, no dia da corrida, alguns amigos que chegaram mais cedo ao autódromo me ligaram e me alertaram que a polícia estava em frente a entrada do autódromo para pegar os Dodges dos pegas. Eu já tinha gastando uma boa grana para correr, inscrição, preparar o carro e não podia ficar fora desta. Aí veio a idéia e fomos para a oficina, isolamos os vidros e jogamos uma tinta que havia no momento que era o marrom escuro. Fizemos isto em pouco mais de 1 hora de trabalho e formos para o autódromo lá pelas 10h30 da manhã e passamos pela entrada do autódromo, demos um alô para os policiais, entrei com o carro e participei da prova e cheguei em sexto lugar.
Depois, levamos o carro para a oficina novamente e fizemos esta pintura desta ilustração.
Velhos e bons tempos.
Mais uma vez, obrigadão.
Jovino

Sidney Cardoso disse...

Jovino
A ilustração ficou ducar... e a história da corrida idem.
Abraços.

Rui Amaral Jr disse...

Bela história!

Rui

Fabiani C Gargioni #26 disse...

Eu tive o imenso prazer de ver e escutar 22 Dojões largando numa pista de terra, é fora do comum.No Paraná existia a categoria Hot Dodge e de vez em quando ele participavam aqui em S.C de algumas etapas. Alguns ainda resistem ao tempo no Paraná mas andam junto com alguns Opalas e Omegas em 4 ou 5 Dojões, é uma pena!!!

Jovino disse...

Fabiani,
Aqui em Brasilia a categoria também se chamava Hot Dodge e durou de 79 até 85.
Na maioria das vezes, a hot dodge largava junto com a TFL (turismo Força Livre) que tinham os opalas Stock da época. Largavamos no gride depois dos opalas. Mas os opalas eram infinitamente mais rápidos do que os Dodges, dando duas, três voltas nos Dodges, que são veículos bem maiores e mais pesados do que os Opalas.

Mas isto, no começo. Depois separaram as categorias e os dodges foram evoluindo, liberando mais preparação, diminuindo pesos e liberando os pneus slics. Aí já eram bem rápidos e o recorde da pista é do Beto Fazenda com 2m29. Para se ter uma ideia, no começo eles viravam em 2m60 movidos a álcool que eram difíceis de serem acertados e foi caindo até chegar a este tempo, mas isto,já praticamente, no final da categoria.
Brevemente estarei fazendo uma matéria em meu blog sobre esta categoria da hot dodge que enchia o autódromo Nelson Piquet.
Jovino

Francis Henrique Trennepohl disse...

Assim como o 'carcamano' Fabiani, eu já vi muito 'Dójão' acelerando aqui na terra, e é 'duca' mesmo!
Jovino, o carro é um tesão, e MM, sem comentários. Matou a pau!!!
Abração

carretera disse...

Jovino,

2' 60" seria um eufemismo para 3 minutos?

De Speed a gente virava 2'38"/2'42"; Fusca prata # 28 do Serginho!