19.1.09

SAI CAPETA!!! OU SERIA BOULEVARD??


Muito se tem falado do protótipo Capeta da Willys pelos blogs afora, e neste fim de semana enquanto pesquisava imagens em minha antiga coleção de 4 Rodas, achei este furo de reportagem de Maio de 1963 (cara, eu tinha 2 meses de vida).
Estavam pra chamar este protótipo de Boulevard. Ele fazia parte de um projeto de nome capeta, que iria lançar outros protótipos. Acho que ao ampliar a imagem dá pra ler o texto na íntegra.
Esse carro não tem nada a ver com o capeta que está no museu do Lee, em Caçapava.
E também nunca ví menção dele em blogs ou fóruns. Alguém se lembra deste carro?
Mestre César Berlineta conhecia este protótipo?
Estou chovendo no molhado? Confesso que fiquei curioso, me ajudem então abrindo seus conhecimentos para este antigomobilista analfabeto enriquecer seus conhecimentos, ora pois.

20 comentários:

Luís Augusto disse...

Maurício, pelo que sei, tanto o Capeta quanto o Boulevard foram projetos de esportivos baseados na mecânica do Aero que não passaram da fase de protótipo. Entretanto, um não tinha nada a ver com o outro, sendo que o Capeta tinha como proposta a de ser um autêntico GT, tipo o Uirapuru (coitado, com motor Willys...). O único Capeta construído está em Caçapava apodrecendo e, pelo que sei, nenhum Boulevard sobreviveu.

Felipão disse...

Que história triste a desses carros. Principalmente o Capeta que tá apodrecendo lá em Caçapava.... E o Luís colocou bem as diferenças...

Anônimo disse...

Mauricio, trabalhei na Eng.de Matrizes da Willys Overland e depois Ford Willys, de 1967 até fins de 1970, estas coisas não me lembro de estarem no Depto.de Estilo naquela época.

Abs
Francisco

Guilherme Gomes disse...

É isso, um dos protótipos Willys que não vingou. Certamente foi desmantelado. O Capeta, muito bem dito: nada a ver com esse, veio depois, mas para cumprir o mesmo objetivo. A Willys era demais!

Anônimo disse...

Quanto aos comentários sobre mecanica dos Willys, realmente não tinham e não queriam oferecer nada de novo ao consumidor brasileiro, os Simcas já eram passado na Europa, creio que alguma novidade chegou com os Alfas por intermédio da FNM, os Galaxies e os Dodges já eram antiguidades nos EUA. Dá VW melhor nem falar.

Francisco

breno disse...

era uma carro sem futuro, feio dmais 8{

Guilherme Gomes disse...

Francisco, você tem fotos da época em que trabalhou nas montadoras?
abraço,

Anônimo disse...

Caro Guilherme, Infelizmente pessoas pobres não tem documento de nada, hj tiro foto até de mosca voando, naquela época era coisa para gente abastada. O unico registro escrito é minha carteira profissional e mais nada.

Abs
Francisco
http://blogdocamaro.blogspot.com

com a permissão do Mauricio.

Mauricio Morais disse...

Guilherme é uma honra recebê-lo aqui, seu blog é uma tremenda fonte de pesquisa e deleite pra quem ama antigomobilismo, como eu. Coloquei seu lik aqui nos favoritos, ok? Abs.

Tohmé disse...

Oba, mais um para nos emprestar seus conhecimentos.

paulo davi disse...

O Boulevard tem o sorriso do Aero Willis, pedigree.

Mario Estivalet disse...

A Willys foi fantástica!!!! Capeta, Boulevard, Bino. Interlagos em fibra em 1961!!!!! Em três modelos, berlineta, coupe e conversível. Equipe de competições de fábrica, etc, etc, etc. (A VW não dava apoio nem para a Formula Ve, até obrigou a revenda Lemar à fechar sua equipe....). A Simca também apoiava bastante (carros de fábrica, Perereca...). Hoje em dia.... bom hoje em dia isto passou..... Preciso deixar de ser saudosista e ser feliz por ter vivido isto.....

Ron Groo disse...

O carro é bonito, mas mercadologicamente melhor seria chamar o bolido de Boulevard mesmo.
Imagina hoje então, com a grande quantidade de pessoas que aderiram as religiões evangelicas o nome 'Capeta" iria encrencar as vendas do carro né?

Mauricio Morais disse...

Mário, é muita história pra ser contada da Willys. Será que a editora Alaúde está preparando algum livro sobre essa fantástica fábrica de sonhos?

Guilherme Gomes disse...

Maurício, fico muito agradecido!
Ron, também pensei nesse viés do nome, mas me lembrei que teve a Lambo Diablo.
Boulevard feio? era mesmo. mas era apenas um protótipo, hoje, aos olhos colecionistas ele é lindo!
a Willys era a marca mais completa nos anos 60. De Jeep à limosine, passando por esportivos, esportivados, picape...

Anônimo disse...

O Boulevard foi um carro criado na Brasinca, especialmente para a Willys. Não foi aprovado e os protótipos foram destruidos.
O Capeta foi um "carro conceito", feito especialmente para o Salão do Automovel. Tinha um chassi tubular e usava a mecânica do Aero Willys. Quem viu as fotos da traseira, hoje em muitos fóruns e blogs, percebeu que ele não tinha uma "tampa" no porta malas...
Rui Siqueira

Caio, o de Santos disse...

Eh Maurício, se não é aula de pintura, é aula de história!!!

Cesar Costa disse...

A diferença entre os dois é que o Boulevard era um 2+2 e o Capeta um GT, dentro dos padrões da época, né? Este nem chegou a ser exibido em Salão como o Capeta e é provável que tenha sido desmontado mesmo.

Mauricio Morais disse...

Obrigado Caio...a gent tenta trazer algo sempre bom.
César, parece que o carro foi desmontado mesmo, valeu a visita. Abs.

Corcel Bino disse...

Embora parecidos à primeira vista, se comparadas as fotos Capeta e Boulevard são protótipos bem diferentes. O Capeta é um esportivo de dois lugares, remetendo a outros esportivos nacionais da época, como o Malzoni e o Brasinca/Uirapuru. Já o Boulevard é um cupê 2+2, e é clara a influência estilistica de carros como o Aston Martin DB4, apesar do focinho à la Willys. Ouvi em algum lugar que esse carro chegou a levar uma noiva em um casamento...Provavelmente o protótipo foi mesmo destruído. Mas como o Capeta e o Interlagos Ii ainda andam por aí, vai saber...