13.5.08

Telefônica Speedy GT3 Brasil - INTERLAGOS - 11/05/08

Bem, promessa é dívida e eu gosto de cumprir as minhas. Será um prazer mostrar aos amigos aqui do blog os momentos inesquecíveis que experimentei na terra da garoa, São Paulo.

Primeira constatação: Eu havia me esquecido o que é sentir frio. Sério, faz quatro anos que moro vizinho à linha do Equador; exatamente em João Pessoa-PB, onde faz calor o ano inteiro, até no inverno é quente...O clima em Sampa estava frio e nublado mas muito agradável.

Segundo, existe gente boa nesse mundo. Encontrei vários nesta viagem, mas quero citar especialmente dois: Sidney Cardoso e Antônio Ferreirinha.

Ferreirinha abriu as portas de Interlagos para nós, e foi de uma simplicidade e gentileza sem tamanho. Muito obrigado por tudo Ferreirinha.

Sidney Cardoso é um gentleman, extremamente simpático, pronto para ensinar ao neófito aqui segredos e histórias do Templo Sagrado. Fez comparações entre o antigo e o atual traçado da pista. Contou histórias de como tocava o GT 40 vermelho da equipe do Colégio Arte e Instrução pela pista antiga de Interlagos.
Sidney, com você pude voltar no tempo e sentir como era aquele Ford GT 40, especialmente quando o carro que venceu a corrida de domingo passava diante dos meus olhos, justamente um Ford GT 40.

Pude conversar também com o Adilson Ayres, mecânico que trabalha com Nelson Piquet há muitos anos. Ayres disse estar entusiasmado com a performance do GT 40, e que não vê a hora do carro do Piquet chegar.

Foi o prestígio do Sidney que me colocou cara a cara com os irmãos Fittipaldi, que em meio a todo burburinho, repórteres, fãs e assessores, pararam para rever o velho amigo.
Aí, eu, antigo fã que sou, me aproximei e pude lhes entregar uma pequena mostra de minha admiração por tudo o que fizeram pelo esporte motor brasileiro. Entreguei a Emerson e Wilson dois pôsteres: o Fitti-Creation e o Lotus 72.
Sou muito grato a ambos pela acolhida que nos deram dentro daquele Box.

Sabe aquela sensação que temos ao terminar uma missão bem sucedida?
Pois foi assim que me senti.
Graças a Deus e aos amigos, pude realizar um sonho que até então era só isso, um sonho.
Veja as fotos abaixo. Elas expressam melhor o que foram esses momentos.

23 comentários:

Anônimo disse...

Sr. Maurício Morais
Receba meus sinceros parabéns.
Estes dois irmãos fizeram quase tudo ou tudo pelo nosso esporte motor e a mídia deu muito pouco espaço a reestréia deles no Templo Sagrado de Interlagos.
O Sr.está reparando esta injustiça.
Péricles Zanetti

Mauricio Morais disse...

É verdade Zanetti. Nosso país tem memória curta, e tudo que não é big brother ou "celebridade" parece não merecer atenção.

Sidney Cardoso disse...

Amigos
Sinceramente, sem rasgação de seda, mas vocês não imaginam a surpresa agradável que foi estar dois dias na companhia de Maurício Morais.
Além de excelente artista que vocês freqüentadores como eu deste blog podem constatar, o que ele tem de altura 1,80ms tem de gentleman e cultura geral.
Olha, na véspera de irmos ao Templo Sagrado ficamos num bate-papo interminável no hotel.
O que Maurício conhece de Programação Neurolingüística e Filosofia é brincadeira.
Ele é daquelas pessoas tipo nunca te vi sempre te conheci, entenderam?
Parecia que já nos conhecíamos há anos.
Maurício como todo gentleman é discreto, mas vou revelar pra vocês uma coisa que duvido sairia de sua boca ou de seu teclado: Emerson Fittipaldi ficou encantado com os pôsteres e, na hora, solicitou o cartão dele pra encomendar mais.
Aí, a segunda surpresa: o cartão de visitas do Maurício é de fazer babar múmia desidratada imagine nós automobilistas - já estou até imaginando o pedido de César Costa quando ler isso - pois o cartão do Maurício é uma linda gravura de uma Berlineta amarela com o número 47.
Aliás, Maurício, estava tão no fluir saboreando sua conversa que acabei me esquecendo de te solicitar um, mas agora calado por milhares de kilômetros, me lembrei. Por favor, na minha próxima encomenda não deixe de me enviar junto um desse seu cartão, com certeza ficará na parede junto aos quadros.
Se não for te dar muito trabalho peço que escanei um e ponha aí junto as próximas fotos para nossos amigos poderem compartilhar da mesma satisfação que o Emerson teve quando o recebeu.
E se prepare para mais um pedido, duvido que César Costa, apaixonado que é pelas Berlinetas não vai te solicitar um.
Abraços a todos, foi muito agradável voltar ao Templo Sagrado com um novo amigo, rever outros e ouvir de novo aquele ronco valente e ao mesmo tempo melodioso do GT40.
Adylson Ayres, amigo velho, mecânico de Nelson Piquet, disse-nos que estaria indo pra Brasília na segunda-feira, pois o GT 40 do Nelson está chegando, portanto, em breve teremos mais um instrumento solando nesta bela e harmoniosa orquestra que é a GT3.

Mauricio Morais disse...

Sidney, você é uma pessoa que inspira o que as outras tem de bom.
Também gostei do tempo que passamos em Interlagos. Cara você é uma enciclopédia automobilística e de cultura geral também.

Obrigado pelas palavras gentis.
Na verdade eu fiquei muito emocionado de estar do lado do maior ídolo da minha infância, juventude e por que não na maturidade também, Emerson Fittipaldi. E que atenção ele dispenssou para nós, que simplicidade. Aprendi muito esses dias.
A seu pedido Sidney, vou colocar o meu cartão pra galera ver. Abs.

Gustavo disse...

Olá Mauricio,
muito legais as fotos! Pena que não pudemos nos conhecer, quem sabe na sua próxima vinda...
Espero que tenha gostado das minhas fotos também.
Abraços

L-A. Pandini disse...

Maurício, sensacional você ter vindo. Pena que eu não tenha ido a Interlagos durante o final de semana, senão poderíamos finalmente nos conhecer pessoalmente.

O templo foi profanado e descaracterizado, mas continua lá. Conserva os quase 70 anos de história que tem. E imagino sua emoção ao ter pisado lá pela primeira vez. Eu, que vou a Interlagos com certa regularidade, ainda me arrepio quando lembro de toda a história que ele tem. Aplica-se perfeitamente um trecho da música "Vai passar", de Chico Buarque:

"Cada paralelepípedo
Da velha cidade
Essa noite vai
Se arrepiar
Ao lembrar
Que aqui passaram
sambas imortais
Que aqui sangraram pelos
nossos pés
Que aqui sambaram
nossos ancestrais"

Que bom que você curtiu tanto. Só fica um recado: da próxima vez que vier a SP, me avise para combinarmos um café com Saloma, Flavio, Joaquim e outros.

Deixo o mesmo recado ao Sidney Cardoso, figura que admiro e que gostaria de conhecer pessoalmente.

Abraços a todos. (LAP)

Cesar disse...

Ôpa! Como disse o Sidney, tô na fila do cartão. Ainda bem que não fui a Interlagos. Se já me emocionei vendo o Emerson pela TV, imaginem o vexame de um burro velho com os olhos cheios d´água, como estou agora aqui no teclado.

Maurício, assino embaixo tudo que você falou do Sidney. É o meu "amigo de infância" mais recente.
Abraços virtuais!

Ron Groo disse...

Mauricio perdão, ando com dificuldades de conexão em casa por conta da operadora que me fornece o serviço de banda larga, logo não tenho tido tempo, já a alguns dias venho tendo acesso a internet só aqui do trabalho, porém um lembrete seu para mim é um ordem, que aliás é cumprida com prazer sendo este espaço muito querido por mim.
E que bom que gostou novamente de estar na minha terra, será sempre muito bem vindo, e da proxima vez farei questão de ir encontra-lo para conhece-lo pessoalmente.
Mais uma vez desculpas pela ausência e vamos ao que interessa... Vou ver as fotos que já estou salivando...

Anônimo disse...

Oi Mauricio,
vejo com prazer sua alegria e reconheço ser realmente muito gostoso estar num evento destes.

Aproveito para mandar um abraço ao Wilsinho e ao Emerson os quais um dia fomos amigos e nos viamos com assiduidade.

Um forte abraço da Europa e vamos continuar com esta paixao enquanto ainda tem gasolina.

Max Pedrazzi

Mauricio Morais disse...

Vamos às respostas:
Gustavo,
na próxima nos veremos. Suas fotos estão maravilhosas, vou colocar um link para elas.

Pandini,
você disse tudo meu amigo. Interlagos é de ARREPIAR. Quando subi pelo acesso do padock e me deparei com aquela geografia montanhosa, toda voltada para a velocidade, parece que o tempo havia parado. Um silêncio sagrado me envolveu, como na largada do filme Le Mans. Silêncio que só foi quebrado pelo rugido de um Viper branco que desgarrava a traseira nas curvas do miolo.Demais.

Cesar,
não sei como consegui segurar as lágrimas. Meu coração queria sair pela boca, especialmente ao lado do Emerson. A reação dele foi muito espontânea ao ver a ilustração que passei a ele. E o Sidney é isso tudo mesmo.

Ron,
da próxima a gente se conhece. Continue vindo aqui pois é um prazer ler seus comentários.

Max,
realmente faltou você lá meu amigo nonno. Fiquei imaginanddo o Sabre rasgando no fim da reta do tamplo, que viagem.

Tohmé disse...

Maurício, sua emoção por certo nos deixou muito felizes.

Aliás, foi uma estréia de ouro né? Emerson, Sidney....

Estive no sábado pela manhã e não te encontrei. Aliás, até ri quando você falou que estaria de "camiseta" com suas estampas. Camiseta? É pneumonia da certa.

Vou te mandar algumas fotos das baratas andando, pois o Cesar quer por que quer ver o GT 40 e no meu blog só entra as pequenas.

Parabéns e foi muito triste não te encontrar. MAs oportunidades não faltarão...

Dinho Amaral disse...

O Cesar para de chorar hein ... parece botafoguense ! mas não é brincadeira não ,quando fui em Laguna Seca cutuquei o meu pai e mostrei pra ele ,o cara comprando cachorro quente do seu lado é o Jack Stewart... ele quase teve um treco...

segura coração !

Mauricio Morais disse...

Tohmé, realmente não rolou clima pra camiseta, he, he. Mande as fotos que publico rapidinho.

Pô Dinho, deixa seu pai...não é todo dia que se vê o velho Jack do seu lado né não?

Cesar disse...

Maurício;
Não liga pras três bibas, não (Dinho, Tohmé e Sidney)!. Sou chato mas sou legal! E sou flamenguista!!!

PS: Aqulela maravilha do Fiti-creations, tomei a liberdade de imprimir, emoldurei e hoje decora o bar lá de casa!!!

Caíque Pereira disse...

Maurício,
Faço minhas as palavras do Panda. Da próxima vez me avise para que eu esteja lá também. Acho que você teve a oportunidade impar de estar com o Emerson e ver o cara andando de Porsche, o melhor carro GT do Mundo, com todo o respeito aos Ferraristas, Lambo's Fãs, etc. A Porsche pra mim só perde em Protótipos para uma marca do passado....

Abração,

Caíque.

Mauricio Morais disse...

É isso mesmo Caíque. Porsche é Porsche e ponto final.

Anônimo disse...

pegando na "rebarba" da conversa a proposito de Porsche , TAMBEM ACHO
abs
Max

Marcio Figueiras disse...

Caíque
Que marca do passado é essa que vc se refere?

Caíque Pereira disse...

Marcio,

Mecanique; Aviation e TRAction :MATRA, apenas um caso de amor pelos carros azuis com o ronco mais espetacular já conseguido num carro de competição e nunca sequer imitado, além de Campeão de F1 e Tri de Le Mans.

Joaquim disse...

Olá Mauricio,
De início, desculpas duplas: primeiro por não ter lhe encontrado aqui em SP pois passei o fim de semana fora. Segundo porque fiz duas postagens e as mesmas não apareceram, devido a algum erro meu.
Desculpas apresentadas, creio entender bem o seu sentimento quando da primeira vez em Interlagos. Até hoje - e olhe que vou mensalmente ao Templo - admiro com reverência aquelas retas e curvas, subidas e descidas. Mesmo alterado e adulterado, o velho e bom Interlagos ainda impressiona. Parafraseando Napoleão, do alto de retas e curvas, setenta anos de História vos contemplam...
Você não sabe como o invejo: papo de bastidores com Sidney Cardoso (a simpatia e simplicidade personificadas), Adilson Ayres e Ferreirinha - decênios de história do puro e autêntico automobilismo - não é pra qualquer um.
Parabéns pela visita, culminando com o encontro de duas lendas vivas das nossas pistas: Emerson e Wilsinho.

Mauricio Morais disse...

Mestre Joca, obrigado pela visita. Como sempre você definiu com maestria a magia do momento que vivi no templo. Presente de Deus, nada mais. Abs.

Marcio Figueiras disse...

Caíque
Já senti que é entendido do riscado MATRA é MATRA.

Helena Toledo disse...

Prezado Maurício
Compartilho com você a grande admiração pelo Emerson, Wilsinho e pelo Sidney.Sou neófita em corridas de automóveis.Assistia aos Grandes Prêmios na época em que Emerson, Piquet e Senna corriam.Quando eles pararam, meu interesse pelas mesmas acabou.É muito bom ver esses ídolos de novo nas pistas, certamente assistirei às corridas em que eles estiverem participando, com interesse duplo:ver os ases do volante brasileiros e os seus maravilhosos carros nas pistas.
Saudações