19.5.08

PROTÓTIPO REGENTE - Breno Fornari

Vocês acharam que eu tinha me esquecido do Protótipo do Breno?
Não, taí o pôster pronto. O Alexandre Fornari, filho do Breno, e ajudou bastante e ficou de mandar mais fotos de outros projetos do criativo Breno. Eram projetos que ele mesmo desenvolvia. Estamos aguardando então.
Atualizando: Havia um erro de digitação na palavra protótipo, faltava o "r". Obrigado Ararê por avisar. O digitador já foi demitido, não sem antes levar 40 chibatadas menos uma!

19 comentários:

breno disse...

Que legal, parece capa de livo...

Sidney Cardoso disse...

Maurício
Parabéns!
Como você disse está parecendo capa de livro.

Tive a sorte de ver, junto com meu irmão Sérgio Cardoso, este protótipo de perto nas Mil Milhas 67, onde participei com a Alfinha e ele com o Karmann-Ghia.

Me lembro que Sérgio que sempre gostou de Simca, ficou contemplando-o por algum tempo.

Se não me falha a memória o motor quebrou nesta prova, mas Breno foi um mito, também se não me falha a a memória venceu as Mil Milhas três vezes.

Joaquim Lopes e Alexandre Fornari, help!

Obrigado ao Alexandre Fornari, filho do Breno, por ter te enviado as fotos, assim os mais novos podem ter a oportunidade de conhecer um pouco da história de alguns protótipos do passado e seus pilotos e construtores.

Seu pai além de ser um construtor criativo era um tremenda bota!

Anônimo disse...

Ó Alexandre
Estou ansioso para saber mais sobre os carrões que seu pai construía.
Soube que ele construiu umas carreteras. Nos conte quais eram os motores com seus pormenores, por favor.
Manoel Pereira

Marcio Figueiras disse...

Alguém pode explicar se este protótipo tinha motor da Simca?
Se tinha, qual delas?

Anônimo disse...

Bruno Mattos
Alexandre Fornari
Seu pai venceu a tradicional Mil Milhas 3 vezes? Isso é fabuloso!!!
Nos conte sobre em quais anos e com que carros.
Desde já agraedeço a resposta.

Anônimo disse...

Poxa
Nem Joaquim nem o Breno Fornari vem conversar com a gente.
Manoel Pereira
Parece que esta turma não gosta de conversa.
Bruno Mattos

Anônimo disse...

Ao lado de Catarino Andreata, Breno Fornari formou a dupla vencedora das Mil Milhas Brasileiras em 1956, 1958 e 1959.

Bruno, talvez vc não saiba, mas é impossível ao Sr. Breno Fornari conversar conosco neste blog; ele faleceu em 2007...

Maurício, gostei muito desta tua ilustração e principalmente da homenagem que prestas a um dos maiores pilotos do RS.
Ela já se encontra no fórum Simca, no tópico “SIMCAS - CORRIDAS RS 60S”.
Rui

Sidney Cardoso disse...

Rui
Vim ver se tinha recebido o help do Joaquim ou do Alexandre Fornari.

Não recebi, mas obtive algumas informações suas, desde já meu agradecimento.

Acho que você entendeu mal a pergunta de nosso colega blogueiro Bruno Mattos, pois lendo agora vi que ele solicitou ao filho do Breno, Alexandre e não ao Breno.

Concluo que ele solicitou isso ao Alexandre pensando da mesma forma que eu, visto que na postagem do Maurício está assim: "O Alexandre Fornari, filho do Breno, ajudou bastante e ficou de mandar mais fotos de outros projetos do criativo Breno. Eram projetos que ele mesmo desenvolvia".

Sidney Cardoso disse...

Maurício
Fiquei curioso, por favor, me tire uma dúvida.

Por que toda vez que você brinca com as chibatadas, sempre diz menos uma?

arare.ilustraçoes disse...

Sidney, eu ia fazer essa mesma pergunta ao Maurício...
Por que menos uma chibatada???
Estamos aguardando a explicação...

Ararê

Mauricio Morais disse...

Sidney, primeiro eu ví isso nun filme daqueles épicos bíblicos quando era crianço e marcou. Depois descobri que era um costume romano desferir 39 chicotadas, pois segundo eles, acima disso um homem morreria.

Joaquim disse...

Olá, turma...
Desculpem a demora, mas vamos lá.
Breno Fornari venceu três vezes as Mil Milhas Brasileiras. como já explicado pelo Rui. Em todas as vezes a carretera #2 estava equipada como motor Ford Edelbrok V-8.
Se não me engano, este protótipo tinha motor Simca-Regente, ou seja, o mesmo motor do Simca Tufão, devidamente preparado. Lembro-me de uma panca monumental deste carro numas 12 Horas de Porto Alegre de 1968, circuito de rua da Cavalhada quando o Breno Fornari se machucou seriamente.

Abs.

Mauricio Morais disse...

Valeu mestre Joaquim, como sempre impecável. Abs.

Marcio Figueiras disse...

Sidney, Rui e Joaquim
Obrigado pelas relevantes informações.

Sidney Cardoso disse...

Pois é, Marcio
Não foi à toa que solicitei o help ao Joaquim.

Joaquim é um mestre respeitável em esporte a motor.

Conheci ele no blig do Gomes e fiquei seu fã logo de cara, pois sempre que precisava de alguma informação ele respondia com todo prazer.Isto sem falar nos e-mails que me enviava com toda boa vontade complementando a explicação.

Nas três vezes que estive em Interlagos nestes últimos anos em duas pude desfrutar da sua agradável conversa. Você não pode imaginar como além desse conhecimento é fascinante estar com ele.

Joaquim conversa horas sem ser chato, sem ser aquele doutor sabe-tudo. Sabe falar, sabe ouvir, enfim, é daquelas pessoas doces e interessantes onde as horas que passamos em sua companhia voam sem que a gente se dê conta.

Senti a falta dele nessa terceira vez, gostaria muito que Maurício Morais o tivesse conhecido.

Joaquim
Muito obrigado e meu desejo sincero que Deus te dê vida longa!

Mauricio Morais disse...

Também são os meus votos ao mestre Joa, viu Sidney.

Joaquim disse...

Caras, assim vocês me assustam....rsrsrsrs...

Alexandre Fornari disse...

Olá pessoal !
Desculpe mas ando sempre com as mãos cheia de graxa e mexer nesta máquinas , internet é muito complicado !
Valeu pelas manifestações de vocês é sempre um prazer ver que a memória de meu pai o "VELHO BRENO" resgatada neste espaço. Certamente ele estará presente nos corações de todos os amantes do automobilísmo. Sua paixão era tremenda pelos carros e pelas corridas . Carrteras foi seu paraíso e ainda mais quando ele podia inventar suas engenhocas e experimentar suas invenções nas corridas . Quanto ao Regente , ele sempre fazia questão de dizer que foi uma receita caseira, feita em papel de pão. Uma pena que o carro poucas conquistas levantará . MAs ele esta aí de volta e poi incrivel , em 1967, eu não dirigia ainda e agora depois de 2005, quando o carro voltou senti que o projeto inicial ainda não está tão ultrapassado. O carrinho é muito bom de guiar, e nas curvas vai muito bem !
Quanto as dúvidas dos amigos , não sei se consigo responder todass, mas o Chrysler usou motor emi-sul, cerca de 190 hp, 4 carburadores 228 dfv. Ele foi feito, com as travessas do Tufão 66 e laterais redesenhdas do Regente . Teto rebaixado em 12 cm, e o comprimento total final ficou em 4 metros e cinco cetímetros . Pêso 900 kg. Usava uma caixa simca de 3 marchas e uma 6M, aclopada invertida. O Diferêncial ainda está o Francês 9x43.
Os amigos podem me ligarem para um papo e o mail e fornari.skate@gmail.com
Fone (51) 34801147
Sempre depois das 23 horas está bom. Mãos limpas para mexer no telefone.
Obrigado pelas rocordações vivas do Breno !
Alexandre Fornari
Guaíba /RS

Mauricio Morais disse...

Breno é uma honra poder relembrar os feitos de seu pai através do meu trabalho. Precisamos lembrar de nossos pilotos e construtores, heróis de um tempo em que correr era quase um ato suicida, tal era a falta de segurança dos carros e das pistas.
Obrigado pelos esclarescimentos técnicos à respeito do carro.
E aguarde que outros carros de seu pai virarão pôster. Abs.