19.4.08

SIMCA ABARTH


Achei todas essas fotos em vários sites que falam de automobilismo brasileiro. Bandeira quadriculiada, Obvio, Brazilian yellow pages, etc, etc. Todos narram com detalhes os personagens e cenários que influiram na vida desses possantes carros para o Brasil, bem como seus desempenhos nas corridas de que participaram. Por isso, acho que não tenho nada a acrescentar, a não ser, talvez, fazer uma bela ilustração desse carrinho que cativou admiradores por todo mundo...
Enquanto vou ilustrando, os Simqueiros de coração podem ocupar esse espaço e falar, falar e falar à vontade da paixão por esse carrinho. Alguém aqui presenciou os pegas entre os Abarths e Berlinetas e Kgs??

2 comentários:

Joaquim disse...

Mauricio,

As Simca-Abarth - quatro foram importadas, embora somente três tenham corrido, duas com motor 2.0 e uma 1.6 - foram a resposta da Simca do Brasil (leia-se engenheiro Pasteur, Perrot e Ciro Cayres)à hegemonia das berlinetas Willys Interlagos na temporada de 1963 onde virtualmente ganharam tudo. Dizer que houve um combate direto seria até covardia porque, a exemplo do ocorrido com as berlinetas no ano anterior, as Simca-Abarth monopolizaram as corridas do campeonato de 1965, secundadas pelo protótipo Tempestade/Perereca (venceu duas). Digamos assim que a Willys provou um pouco de seu próprio veneno.
Embora criticadas por muitos que preferiam as soluções caseiras, via indústria nacional , minha opinião pessoal é que iniciativas como esta (e das Alpine-Renault, Alfa Romeo Ti e GTA, BMW, etc...)tiveram o mérito de nos manter pelos menos neste sentido ligados com o melhor da tecnologia estrangeira - dentro das nossas parcas possibilidades, é claro!

Grande abraço!

Anônimo disse...

Estes carros fizeram o maior sucesso nas pistas. Todas corridas tiveram de fazer mediante liminar judicial.
Este link diz tudo:
http://www.luik.com.br/News_View.aspx?Articleid=5,
E viva o José Fernando Martins, "Toco", Ciro Cayres e Jayme Silva
Paulo Pires