30.11.07

CAMBER PATINHO FEIO - NO PÔSTER


Trabalho finalizado. Esse carrinho é a prova da competência, da determinação e do sonho de quatro garotos de Brasília, que resolveram "brincar" de construir carros de corrida e chegaram em 2º na prova de estréia. Eles arriscaram e conseguiram brilhar. Vamos tentar então minha gente. Levante esse traseiro gordo do computador e vamos colocar os sonhos pra virar realidade. Isso é que faz a vida valer a pena.

3 comentários:

Speed Arosi disse...

Caro Mauricio

Feio, não significa, ruim, inadequado ou porcaria. Feio é um adjetivo usado por aquiles que não entende a conceito de beleza.

Sonhos são para ser perseguidos, e muitos se tornam realidade. Pricipalmente com a ajuda do Pai.

Anselmo / SBC

Mauricio Morais disse...

Concordo com tudo Anselmo.Bendita a família que pode contar com um pai ou uma mãe que acredita no potencial de seus filhos e investem credibilidade, incentivo e quando dá dinheiro também para que seus filhos prosperem e sejam vitoriosos.
Deus salve a estrutura familiar desse país.

Anônimo disse...

Caro Maurício
Estive fora da blogosfera devido uma virose, chego aqui hoje e me deparo com mais uma bela ilustração sua. Parabéns! Como sempre nota 10!
Fiquei emocionado, você retratou muito bem o protótipo Câmber que tive o privilégio de vê-lo de perto e, como você sabe, Alex é um grande amigo até hoje.
Olha, teve uma corrida as 500 Milhas do Rio que não me esqueço por vários motivos, citarei apenas algumas pra não cansar:
- Alex e João Luiz chegaram em quarto lugar com ele.
- Nesta corrida que terminou com 238 voltas o Fitti-Porsche liderou com uma vantagem enorme até a 178 quando quebrou, se não me falha a memória o “Foguetinho” estava com umas nove ou oito voltas de vantagem para o segundo colocado.
- Reencontrei-me com Chico Landi que voltara a correr, agora com um BMW em dupla com Ubaldo Lolli. Na véspera o administrador do Autódromo Nonato convidou o Landi e a mim para irmos em sua casa comermos um bolo, pois era aniversário do Nonato.
- Ri muito neste dia, estava assistindo na curva do S com vários amigos, um deles muito engraçado, meu parceiro num time de Vôlei delegado Juremy Baptista, ele sabia que gostava muito do Alex e que estava ali dando uma força pra ele que sempre entrava de lado nesta curva.
Quando ele entrava de lado o Juremy gritava bem alto: - Conserta Cascâo! Ele consertava e todos riam.
Numa determinada volta ele, de brincadeira, falou para a grande turma presente: - Desta vez não vou gritar e ele vai rodar. Vocês querem apostar?
Assim fez e, não é que por incrível coincidência, o Patinho Feio saiu com a traseira da pista quase rodando, levantando bastante poeira da terra do acostamento...
Sidney Cardoso