Acabei de "pinçar" esta foto no blog do Ibsen http://public.fotki.com/ibsenop/,
excelente ilustrador automobilístico .
Não fui ao Clássicos de Competição, mas tenho viajado nas fotos que encontro na internet.
Ao me deparar com esta imagem tremi de saudade ao relembrar o marco que este carro e sua equipe representou para nossa auto-estima automobilística. Me lembro de comprar as Auto Esporte, 4 Rodas e Grand Prix da época, pra acompanhar tudo o que acontecia com a equipe do meu coração lá na F1 de outrora.
Do orgulho inicial, passei à amargura total ao ler os depoimentos que Emerson narrava em sua coluna na 4 Rodas. Que sofrimento esse pessoal passou. Outra coisa que me deixava extremamente triste eram as brincadeiras idiotas que toda a mídia fazia com o time brasileiro. Quanta falta de respeito. E todos sabemos o quanto é importante ser respeitado em nossa própria casa. O Brasil deve isso à família Fittipaldi.
Por isso fiquei emocionado ao ver o Wilsinho dentro de sua criação, recebendo a admiração de todos que como eu um dia torceram por ele e sua equipe, nossa equipe.

Através do Clássicos de Competição podemos ter uma noção do que foi a trajetória dos irmãos Fittipaldi dentro do cenário automobilístico brasileiro. Basta para isso relacionar as criações dessa trupe que nasceu com gasolina nas veias e graxa nas juntas. Fitti-vê, Fitti-Fusca, Fitti-Fusca com oito cilindros, Fitti-Porsche, Copersucar Fittipaldi.
Todos com uma característica muito clara: Estavam sempre um passo à frente em tecnologia e design. E nesse processo não podemos nos esquecer do terceiro Fittipaldi, o "Inglês", Ricardo Divilla. O cérebro que transformava idéias geniais em projetos possíveis e vencedores.
Analisando esta trajetória dá pra entender como Emerson, no auge de sua carreira abandona o melhor time de F1 da época, com seus dois títulos mundiais, para se juntar aos outros irmãos.
Era um passo natural, não uma aventura como muitos disseram, porém arriscado. E eles pagaram o preço.
Agora que o tempo passou e a poeira baixou, podemos ver claramente que essa família nos deixa uma tremenda lição de vida que se resume numa frase que lí em algum lugar: Os covardes nunca começam, os fracassados nunca terminam, mas os vencedores nunca desistem! São os Fittipaldi.

Comentários

Sidney Cardoso disse…
Quero deixar meus parabéns ao Ibsen, visitei seu site e a cobertura fotográfica que ele fez dos Clássicos de Competição foi 10!
Pegou todos detalhes dos carros.
Abs.
Speed Arosi disse…
É isso ai Mauricio, e creio que assim como os Fittipaldi, você tanbem está fazendo história, "simplesmente" reproduzindo em ilustrações.
Mauricio Morais disse…
É verdade Sidney, o Ibsen é um cara especial.
Valeu Speed.